[49] 3361.3737 | falecom@grandesvalores.com.br

Ana Sofia: Determinação e Aprendizado

Ana Sofia: Determinação e Aprendizado

Foto: Rodrigo Scandolara

Aos 11 anos de idade, Ana Sofia de Lima Adolfo foi vencedora do concurso “Oratória nas Escolas” no ano de 2018

Aluna da Escola Básica Municipal Padre José Anchieta, Ana Sofia de Lima Adolfo dá um show de conhecimento. Aos 12 anos de idade, a estudante nutre uma enorme paixão pelas palavras e livros, faz cursos de dança e inglês e desenvolveu um apreço especial pelo teatro.

Filha da professora Margarete de Lima, Ana Sofia cursa a 8ª série do ensino fundamental. Vencedora do 1º lugar no concurso “Oratória nas Escolas”, a estudante entrou em contato com o projeto na escola. Promovido pela JCI Chapecó, “Oratória nas Escolas” visa promover e conscientizar jovens estudantes acerca das responsabilidades sociais e ambientais individuais. “Achei muito interessante e quis participar! Já conhecia alguns colegas que também participaram.”, conta Ana Sofia.

Em 2018, o projeto contou com 715 inscritos distribuídos entre 22 escolas municipais. O tema “Seres Humanos Melhores” instigou uma série de reflexões: “Se você parar pra pensar, nós somos bem ruins com o mundo. Jogamos lixo por aí e poluímos sem perceber que os nossos filhos vão morar aqui e, portanto, precisamos deixar a eles o legado de um mundo melhor. Outro tema que mencionei no projeto, e que precisa ser tratado com urgência, foi a igualdade. Precisamos tirar de dentro de nós o mal do preconceito, que segrega e oprime. Mesmo cometendo erros, podemos pedir desculpas e aprender a ter mais respeito e preocupação para com o outro.”, ressalta Ana.

Ana Sofia: Determinação e Aprendizado

Foto: Rodrigo Scandolara

Para desenvolver o texto, Ana Sofia refletiu sobre o tema, adaptando-o de acordo com os conhecimentos adquiridos em casa e na escola. Apresentado no Teatro do Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nês, o texto foi ouvido por centenas de pessoas. Na hora de subir ao palco, Ana Sofia precisou conter o nervosismo: “Fiquei um pouco nervosa, mas subi e falei”. No fim, tudo deu certo: “Fiquei muito feliz, pois não errei, consegui falar tudo e todo mundo gostou. Fiquei muito feliz quando me aplaudiram no final.”, conta.

Além de ler e escrever, Ana Sofia vai à escola, faz cursos de teatro, inglês e dança, frequenta a ADEVOSC (Associação Dos Deficientes Visuais Do Oeste De Santa Catarina) e participa de atividades na sala de recursos. Ao pensar nos demais colegas, leitores e amigos, Ana Sofia aconselha: “Eu acho que todo mundo tem medos às vezes. A única coisa que não podemos fazer é deixar o medo dominar a nossa vida. Às vezes a gente tem que ir lá, mesmo que seja na frente de mil pessoas, e falar. Não importa que a gente fique nervoso, não podemos deixar o medo nos impedir de construir oportunidades para nossa vida, nosso futuro. Devemos confiar em nós mesmos.”.

Compartilhar

Deixar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *